Imprimir

Fortalecimento das administrações municipais é foco de atividades de extensão da Fundação João Pinheiro

Data de publicação .

Estudantes de administração pública colaboram com a melhoria dos processos e políticas locais

Falta de recursos, dificuldades de planejamento, corpo técnico reduzido e a necessidade de se investir constantemente no aprimoramento da gestão pública são características comuns a grande parte dos municípios brasileiros. Mas, em Minas Gerais, iniciativas como os projetos de extensão realizados pela Fundação João Pinheiro (FJP) com os alunos do curso de administração pública da instituição estão contribuindo para mudar este cenário.

Em Jaíba, no Norte de Minas, o aluno Ciro César de Carvalho e seu colega Mateus Miglio, participantes da edição 1/2019 do Programa de Internato em Administração e Gestão Municipal (Prinagem), se depararam com esta realidade. “Jaíba é um município relativamente novo, com um histórico de vários prefeitos nesses poucos anos, então a cultura organizacional está em processo de formação”, diz Carvalho.

Para ele, o conhecimento da administração pública é determinante para uma boa gestão. “Há um caminho longo a percorrer, mas a administração municipal já tem buscado um reposicionamento dos secretários, além de treinamento e capacitação para os servidores”, ressalta o estudante.

Durantes as duas semanas que passaram no município, no último mês de janeiro, os alunos acompanharam o processo de licitação e compras e produziram material informativo sobre o tema; realizaram, entre outras atividades, um diagnóstico da Secretaria de Transportes; e ministraram a oficina Repensar Políticas Públicas aos secretários municipais, focada nos temas licitações e contratos, itens de controle e matriz do marco lógico.

Para o secretário de Planejamento de Jaíba, Felipe Xavier, os estudantes contribuíram para a discussão sobre a cultura da organização. “Eles demonstraram que, com raciocínio e atitudes simples, podemos alcançar grandes resultados em fazer políticas públicas”, afirma.

Esta também é a opinião do assessor administrativo da Prefeitura Municipal de Campo Florido, no Triângulo Mineiro, Ademir Rosa. “O trabalho realizado pelos alunos da Fundação João Pinheiro foi muito proveitoso e nos ajudou a perceber as oportunidades de melhorias no atendimento à comunidade e na busca por mais eficiência da administração”, destaca.

Em Lagoa Grande, no Noroeste de Minas, os estudantes Augusto Ananias e Bruno Volpini encontraram uma dificuldade enfrentada por muitas prefeituras: falta de recursos. Mesmo assim, buscaram levar inspiração aos gestores, implantando a ideia de que é possível fazer mais com os recursos disponíveis.

“Desenvolvemos, com a Secretaria de Saúde, uma ação social em praça pública para discussão sobre depressão e suicídio, por meio de palestras e música. Tivemos um ótimo retorno e não houve gastos adicionais. Usamos os recursos já disponíveis como o som e as cadeiras, além da contribuição sempre muito efetiva de servidores”, conta Ananias.

Durante a permanência no município, os alunos também contribuíram com o Plano Municipal de Turismo; com um diagnóstico municipal com propostas para a administração; com capacitações em desenho de políticas públicas e inovação e empreendedorismo no setor público; e com a proposição de melhorias no processo de atendimento do prefeito aos cidadãos.

Prinagem - Município de Campo Florido

 

Bom exemplo - Em Gameleiras, Norte de Minas, os oito alunos da Fundação João Pinheiro e o professor Marcos Arcanjo foram surpreendidos de forma bastante positiva no desenvolvimento das atividades do Projeto 10Envolver Capacidades, parceria com o Ministério Público Estadual.

"Um município que estava, em 2010, entre os dez com menor Índice de Desenvolvimento Humano do estado, não apenas saiu desta lista, impulsionado pela educação, como conseguiu superar um dos maiores problemas atualmente enfrentados pelos municípios em todo o país, que é o pagamento da folha de pessoal. Além disso, verificamos que todos os processos estão mapeados. Esta experiência nos proporcionou o contato com boas práticas da administração pública”, afirma Arcanjo.

De 28 de janeiro a 8 de fevereiro, entre diversas ações, eles revisaram o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos dos servidores municipais e elaboraram o Manual de Planejamento de Força de Trabalho para otimizar a alocação de servidores efetivos; ministraram oficinas para a área da assistência social e para produtores rurais; e elaboraram um projeto de educação ambiental.

10Envolver - Município de Gameleiras

Extensão em números - Entre muitos projetos coordenados pela Gerência de Extensão e Relações Institucionais da Escola de Governo da Fundação João Pinheiro, o Prinagem já realizou seis edições, em 53 municípios mineiros, com a participação de 116 alunos. Já o 10Envolver Capacidades, chegou à sua décima edição, alcançando dez municípios e a participação de 80 estudantes.

De acordo com o gerente de Extensão e Relações Institucionais da Fundação João Pinheiro, Mauro Silveira, uma das premissas da extensão universitária é a interação dialógica entre a universidade e a sociedade. “Essa atuação vai desde os projetos sociais, em que há interação com as comunidades locais no entorno da universidade, até a possibilidade de os estudantes contribuírem com as administrações municipais”, explica. “Ao se dedicarem a trabalhar nas prefeituras, os alunos têm a oportunidade de aprender sobre a dinâmica e desafios locais, ao mesmo tempo em que buscam contribuir com a melhoria dos processos e políticas públicas e, consequentemente, com o fortalecimento dos municípios mineiros”, avalia.

Políticas públicas e cidadania - Proporcionar ao estudante universitário conhecimento de aspectos peculiares da realidade brasileira e contribuir com o aprimoramento das políticas públicas, atendendo às necessidades específicas das comunidades selecionadas são alguns dos objetivos do Projeto Rondon. A Fundação João Pinheiro já participou de 37 edições do projeto, sendo a mais recente, Operação Parnaíba, realizada entre os dias 18 de janeiro e 3 de fevereiro, no município de Castelo do Piauí, no Piauí.

Oito alunos e dois professores do curso de administração pública, em parceria com estudantes e professores de diversos cursos da Universidade Federal do Amazonas, realizaram atividades diversas com servidores públicos, ou em contato direto com a população. “Ministramos oficinas que envolveram diretamente os gestores, em áreas como captação de recursos e parcerias, associativismo e cooperativismo e administração pública em geral,  além de terem surgido demandas específicas, como discussões sobre o uso da água, resgate de sementes crioulas, associação de catadores de lixo e gestão ambiental”, explica o pesquisador e professor da Escola de Governo, Caio Gonçalves, que coordenou a expedição.

O também pesquisador e professor da FJP, Raimundo Leal, acrescenta que, por possuir uma carência estrutural secular, principalmente na zona rural, o município de Castelo do Piauí muitas vezes não consegue prestar informações mínimas à população. “Temas como saúde bucal, aleitamento materno e higiene pessoal não são comuns entre os munícipes. Esta também foi uma das nossas atribuições nesta operação do Rondon, levar conhecimentos básicos aos cidadãos”, diz. “A oficina de empoderamento para mulheres, por exemplo, foi algo inédito e acredito que um bom legado foi deixado por meio dela”, conclui.

Projeto Rondon - Operação Parnaíba, em Castelo do Piauí

 

 

 

Por Débora Drumond

Assessoria de Comunicação | Fundação João Pinheiro

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.  | www.fjp.mg.gov.br

Informações para a imprensa: (31) 3448-9561 | 3448-9588