Imprimir

Equipe da Fundação João Pinheiro participa de nova etapa do Projeto Rondon

Data de publicação .

 Instituição contribui com o projeto desde 2006 e fará sua 34ª operação 

Oito alunos e dois professores do curso de Administração Pública da Fundação João Pinheiro (FJP) embarcam nesta quinta-feira, 13 de julho, em um avião da Força Aérea Brasileira com destino ao distrito de Castelo dos Sonhos, em Altamira, no Estado do Pará. A equipe irá participar da Operação Serra do Cachimbo, 34ª etapa do Projeto Rondon, que acontece até 30 de julho.

Coordenado pelo Ministério da Defesa, o Rondon tem o objetivo de contribuir para o desenvolvimento local sustentável e para a construção e promoção da cidadania de comunidades carentes. Realizado em parceria com Instituições de Ensino Superior de todo o país, o projeto atua junto a autoridades municipais e lideranças comunitárias em regiões que apresentam baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e em áreas isoladas do território nacional que necessitem de mais aporte de bens e serviços.

Além do distrito de Castelo dos Sonhos, no Pará, a Operação Serra do Cachimbo vai contemplar outros oito municípios, todos no Estado do Mato Grosso, com a mobilização total de 161 voluntários de 16 Instituições de Ensino Superior. Priorizando ações que gerem benefícios permanentes às comunidades, principalmente aquelas relacionadas à melhoria do bem estar social e à capacitação de gestores públicos, a iniciativa também consolida o sentido de responsabilidade social na formação do universitário brasileiro.

Experiência - De acordo com o gerente de Extensão e Relações Institucionais da Escola de Governo da Fundação João Pinheiro, Mauro Silveira, o Rondon foi pioneiro nas atividades de extensão/imersão da instituição, hoje reforçadas por outros projetos desenvolvidos em âmbito estadual.

“O Projeto Rondon representa uma oportunidade única aos nossos alunos. Por ser um programa nacional, propicia a eles levarem as boas práticas aqui trabalhadas a outros Estados brasileiros, além da possibilidade de interagir com estudantes de diversos cursos e diferentes cantos do país, atuando em parceria com múltiplas instituições”, afirma. “Conviver com realidades tão distintas, especialmente no contato direto com as comunidades, acarreta a eles uma compreensão profissional ímpar, além de um enorme crescimento pessoal”, completa.

Durante os 15 dias da operação no distrito de Castelo dos Sonhos, os estudantes da FJP vão atuar em parceria com alunos da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) na gestão de documentos e ministrar oficinas nas áreas de Informática; Empreendedorismo; Economia Familiar; Gestão Educacional; Gestão de Negócios; Atendimento ao Público; Empoderamento Feminino; Assessoria Parlamentar; Jovens Profissionais; Jardinagem e Horta Vertical; e Fossa Séptica, entre outras atividades.

Castelo dos Sonhos - Localizado a mais de mil quilômetros da sede do município de Altamira, o distrito tem população de 15 mil habitantes, que pouco ou nenhum contato têm com a cidade. Sua ocupação foi motivada pelo garimpo de ouro, exploração da madeira e, atualmente, pelo o agronegócio, com o cultivo de cereais e a criação de gado para corte.

No local há três escolas públicas, creche, unidade básica de saúde, posto policial, iluminação elétrica e serviço de internet, mas não há água tratada, esgoto e telefonia móvel. Banhado pelo rio Kuruá, o distrito abriga a comunidade indígena dos Kaiapós, além de vários assentamentos de pequenos agricultores familiares.

Para o professor Ágnez de Lelis Saraiva, que vai acompanhar os alunos da FJP, a Operação Serra do Cachimbo se apresenta como um grande desafio, especialmente para a equipe escalada para o trabalho em Castelo dos Sonhos. “Vamos atuar com dificuldades extremas, tanto no que se refere à infraestrutura para atender nossas necessidades básicas, quanto no acesso ao material para realizarmos as oficinas e cursos para a população local”, afirma. “Mas acredito que será uma ótima chance de aprendizagem para todos nós e que, certamente, poderemos compartilhar um pouco do que se aprende aqui na Escola de Governo”, ressalta.

Breno Ribeiro é aluno do 6º período de Administração Publica na FJP e esta é a sua primeira participação em um projeto de imersão. “Espero que o Rondon seja uma experiência desafiadora e muito gratificante. A oportunidade de conhecer novas culturas, lugares e pessoas certamente irá propiciar a todos os voluntários o desenvolvimento pessoal, profissional e acadêmico. É uma chance única de sair daquilo que estou acostumado no meu cotidiano e conhecer novas realidades”, declara o estudante, reiterando que a expectativa é a melhor possível.

Rondon em números - Projeto Rondon foi lançado em 1967, extinto em 1989 e, desde seu relançamento, em 2005, já contemplou 844 municípios, envolvendo 19.170 voluntários de 291 Instituições de Ensino Superior em 151 diferentes ações. Até o momento, 296 alunos, técnicos e professores da Fundação João Pinheiro já participaram do desenvolvimento de ações no âmbito da administração pública em 33 municípios de 19 Estados brasileiros.

O professor Ágnez Saraiva e parte da equipe de estudantes que participam da Operação Serra do Cachimbo

Imagem: Divulgação

 

Assessoria de Comunicação | Fundação João Pinheiro

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. | www.fjp.mg.gov.br

Informações para a imprensa: (31) 3448-9561 | 3448-9588

 

Siga a FJP no Twitter: https://twitter.com/_fjp_

Acompanhe a FJP no Facebook: http://www.facebook.com/fjpoficial